top of page

Um papo com Tatiana Cequinel

O já conhecido, e aclamado pelos maringaenses, Padrão Embraed de viver, está agora muito mais perto do que você imagina. Maringá será a primeira cidade fora do Estado de Santa Catarina a receber um empreendimento do grupo presidido por Tatiana Rosa Cequinel. Em um papo com a WIT, Tatiana revela como Maringá entrou no eixo de investimentos da Embraed e quais expectativas podemos ter para este breve lançamento


TEXTO VINÍCIUS LIMA FOTOS ÂNGELO BORBA


Tatiana Rosa Cequinel assumiu a presidêndia da Embraed em 2013, quando tinha apenas 35 anos. Após quase uma década de sua nova gestão, a Embraed, que já era considerada uma das maiores construtoras e incorporadoras de luxo do sul do país, ganhou fama internacional ao ser escolhida pela grife Tonino Lamborghini como parceira para construir o primeiro edifício da marca no Brasil.


Para manter o legado de seu pai, Rogério Rosa, fundador da marca em 1984, Tatiana conserva um centro de produção de 20 mil metros quadrados, por meio do qual mantém o alto padrão de qualidade fabricando os próprios acabamentos para pisos, paredes, portas e esquadrias de todos os seus empreendimentos.


Foi este rigor técnico que levou a empresa a evoluir de 12 funcionários para mais de mil colabores, graças também a um moderno sistema de governança auditado por uma das Big Four, nome empregado para se referir às quatro principais empresas de auditoria do mundo.


Gestão, qualidade e ineditismo são responsáveis pela valorização anual dos imóveis Embraed em torno de 15% acima da inflação. Outro diferencial é o fator humano: Tatiana faz questão de ser síndica de todos os empreendimentos por pelo menos 2 anos após seu lançamento, como forma de garantir uma boa experiência para os condôminos, e também de treinar o conselho de moradores sobre como manter o padrão Embraed na gestão condominial.


No início de 2020, após o lançamento em Balneário Camboriú (SC) do primeiro residencial da marca italiana Tonino Lamborghini no Brasil, a Embraed anunciou o desenvolvimento do seu primeiro empreendimento fora do Estado, em Maringá. Sim, podemos nos orgulhar de ser a primeira cidade fora do eixo de Balneário a receber o padrão Embraed. A que devemos a honra? Foi a primeira pergunta que fizemos a Tatiana Cequinel, em uma entrevista cedida com exclusividade para a Revista WIT.


[WIT] Maringá acabou ganhando o selo eterno de primeiro empreendimento Embraed fora do Estado de SC. A que devemos este prestígio?


[TC] Não podia haver escolha melhor! Além de termos muitos clientes em Maringá, a cidade acabou de ser lançada como a melhor do país para se viver. Vocês têm muita qualidade de vida, arborização, ruas muito bem pavimentadas e a cidade está sempre se renovando e se inovando. Percebemos que é uma comunidade que trata bem seu entorno e que, por tudo isso, o mercado imobiliário acaba sendo muito valorizado.


[WIT] Vamos falar de bastidores: há quanto tempo Maringá está no radar da Embraed? Quando que a gente entrou no mapa da empresa?


[TC] Embora a progressão do mercado da Construção Civil aconteça na velocidade de construção dos empreendimentos, algumas decisões precisam ser tomadas rápidas. Acho que foi o caso de Maringá. Acredito muito em energia e na colaboração do universo, e neste percurso muitas coisas boas começaram a vir até a gente, ao ponto de encontrarmos um terreno em área extremamente nobre, de frente ao Parque do Ingá, com uma metragem que atenda ao nosso padrão e todas as necessidades dos nossos clientes que são extremamente exigentes. Foi no ano de 2019 que fizemos as tratativas de terreno, mas fazem 3 ou 4 anos que começamos a fazer planos de expansão de fronteiras.


[WIT] Os altos índices de valorização são uma realidade dos empreendimentos Embraed. Como, na sua opinião, Maringá tem a ganhar com um empreendimento assinado pela Embraed?


[TC] Estamos levando para Maringá um padrão que os maringaenses já conhecem em Balneário. Um padrão artesanal, artístico, de atelier, junto com toda a tecnologia que a gente conseguiu desenvolver em 36 anos de empresa. Tudo isso somado com a funcionalidade e beleza do projeto, com diferentes ambientes de área de lazer, tudo voltado para qualidade de vida e para a sensação de viver em um apartamento como se fosse numa casa, são pontos determinantes que com certeza vão contribuir para a valorização do empreendimento.


[WIT] Já que estamos falando de projeto, como vai ser o formato do primeiro empreendimento da Embraed em Maringá?


[TC] Nós compreendemos que este será um apartamento de moradia, e não um apartamento de verão, o que fez toda a diferença no projeto. Estou para te dizer que está tão fantástico que eu adoraria um prédio como este em Balneário [risos]. Nessa planta valorizamos muito os ambientes com espaços mais amplos, maiores do que os prédios daqui, mas também tentamos levar um pouco do clima de praia para Maringá, menos a areia [risos]. A vibração de lazer e de férias está em cada detalhe do projeto, que é, inclusive, uma tendência contemporânea pós pandemia que nós nos orgulhamos de cultivar há muitos anos na empresa.


[WIT] Você vai conseguir, em Maringá, manter a tradição de ser síndica na fase inicial do empreendimento entregue?


[TC] No primeiro ano eu vou tentar sim. Isso é muito importante para o nosso produto. Não adianta eu entregar um produto de alto padrão sem oferecer o treinamento e conteúdo que vai manter isso ao longo do tempo. Minha função como síndica é apresentar o modelo de serviço a ser feito, o padrão Embraed, para que se mantenha o brilho do piso ao longo do tempo, o brilho da prataria da decoração, o layout correto dos móveis, a manutenção correta de móveis e lustres de cristais e principalmente como se treina uma equipe para ser sempre cortês e eficaz. Temos um modelo de como tudo isso funciona. Até o aroma das áreas comuns é pensado! Quando o prédio ganha maturidade e encontramos alguém que se identifica com o papel de gestor, eu passo o canudo.


[WIT] Você tem uma filha no final da adolescência, um garotinho de apenas 2 anos e uma menina recém-nascida. Como você faz para agregar o papel de mãe à presidência de uma empresa?

[TC] Primeiramente eu confio muito que quem manda é o Cara lá de cima. Durante 5 anos eu tentei fertilização in vitro, sem sucesso. Agora entendo que não estava nos planos de Deus, porque os 5 primeiros anos da minha gestão foram realmente muito intensos. Hoje sou muito grata e feliz por termos passado por um rigoroso processo de profissionalização e sermos auditados por uma das Big Four, que promoveu uma cultura empresarial de ética, transparência e um nível de controle que me permite ver a empresa de forma integral. Ainda assim, a vinda dos meus filhos não seria possível sem o apoio da minha equipe, muitos dos quais já têm mais de 20 anos de empresa. Foi complicado porque nas duas últimas gestações eu passei 1 ano e meio grávida e mais um ano amamentando. Eu tive que dar conta de trabalhar em três turnos, mas você também tem que saber delegar, ter pessoas competentes ao seu lado e dar autonomia para elas. Outro segredo é trabalhar com uma agenda bem antecipada, eu tenho um dia a dia muito organizado e até os compromissos de família eu coloco na agenda.


[WIT] Um dos legados de seu pai foi a filantropia. Como está hoje o Instituto Rogério Rosa? Tem planos para estabelecê-lo também em Maringá?


[TC] Sempre tive o sonho de criar um instituto com o nome do meu pai, porque ele era muito ligado a ajudar as pessoas. Filho de um pai pescador e uma mãe dona de casa, ele construiu tudo com muito esforço, e nos deixou valores que eu e meus irmãos não queríamos que se perdesse com a profissionalização da empresa. Em novembro de 2019 lançamos o Instituto Rogério Rosa no dia do aniversário do meu pai, com o objetivo de contribuir ainda mais com o desenvolvimento da região de Balneário por meio do apoio aos nossos colaboradores e a entidades públicas e privadas de caráter humanitário. Nós promovemos condições para pessoas ajudarem outras pessoas, e temos sim o plano de dessa forma contribuir com Maringá e mostrar à cidade que estamos chegando para agregar e contribuir.


[WIT] E com relação ao capital humano para a edificação dos empreendimentos Embraed em Maringá, serão pessoas da cidade ou de fora?


[TC] Com certeza vamos contribuir para a geração de empregos na cidade. Vamos fazer uma mistura de profissionais de Maringá com gestores de Balneário, porque nós temos um gestor para cada setor – gesso, piso, pintura, portas, etc. – são esses gestores que vão garantir o padrão Embraed, a qualidade e também qualificar os trabalhadores locais com o nosso jeito de fazer. É uma forma de reproduzir com fidelidade nosso padrão e também valorizar o capital humano local.





bottom of page