top of page

Um novo começo

Conheça a mastectomia masculinizadora, uma cirurgia plástica que visa reduzir o volume mamário em indivíduos transgêneros, ou simplesmente trans


TEXTO DR. FÁBIO PAIXÃO FOTO JEFFERSON OHARA


Primeiramente, o que consiste este procedimento cirúrgico? Consiste na retirada das glândulas mamárias femininas com o objetivo de transformação de um tórax anatomicamente feminino em masculino. Quem são estes indivíduos transgêneros (trans)? São indivíduos que não se identificam com o gênero masculino ou feminino que lhe foi atribuído ao nascer, ou seja, nascem com espírito e alma do sexo oposto com sensação de estar em um corpo errado.


Quando o gênero feminino se transforma em gênero masculino, passa a ser denominado de trans masculino e no inverso, masculino em feminino, tem o nome de trans feminino. A título de informação, temos mais um grupo de indivíduos que não se identificam nem com o sexo masculino e nem com o feminino, pessoas que se intitulam de "não binários" e que também podem não aceitar suas mamas.


Em 2018 a Organização Mundial da Saúde (OMS), retirou a transexualidade da lista de transtornos mentais passando apenas a transtorno de identidade de gênero. A transgeneridade não é doença ou distúrbio psicológico. Este assunto “transgênero” é algo novo para a sociedade, porém já vem em discussão por muitos anos nos meios científicos.


O Conselho Federal de Medicina (CFM) tem novas regras para realização de procedimento cirúrgico de adequação sexual, reduzindo de 21 anos para 18 anos a idade mínima e hormonioterapia a partir dos 16 anos. O atendimento aos transgêneros devem ser feito por equipe médica multidisciplinar composta por psiquiatra, endocrinologista, ginecologista, cirurgião plástico e apoio psicológico aos pais que muitas vezes relutam em aceitar estes comportamentos de seus filhos, às vezes até com rejeição.


Na nossa clínica a procura por esta cirurgia aumentou expressivamente nos últimos anos, principalmente após a reprise da novela “A força do querer” onde a personagem não se identificava com o seu corpo e, após muito sofrimento, buscou pela cirurgia.


Muitos de nossos pacientes trans masculinos já chegam na clínica com RG com nome masculino, com terapia hormonal e psicológica e aparência masculina, ansiosos por realizar o sonho para transformação do tórax buscando equilíbrio da mente com o corpo.


As técnicas cirúrgicas utilizadas para a mastectomia masculinizadora são variáveis. Para mamas pequenas sem muita flacidez, conseguimos fazer a retirada do volume mamário através de uma pequena incisão na aréola, resultando em cicatrizes mínimas e imperceptíveis. Para mamas maiores e/ou caídas as incisões também são maiores, localizadas no sulco mamário, técnica conhecida como "sorriso"; nesta, o complexo areolo-mamilar é reduzido e enxertado em local adequado do tórax, semelhante a um tórax masculino.




Comentários


bottom of page