top of page

Dar luz a novos olhos

A médica oftalmologista Simone Tiemi Yabiku foi precursora da medicina em uma família tradicionalmente de engenheiros, um caminho de renúncia, mas também de realizações de valor inestimável: devolver luz para milhares de pacientes

TEXTO VINÍCIUS LIMA FOTO JOÃO PAULO SANTOS

Já parou para pensar que muitos de nossos jovens têm que decidir a carreira de toda uma vida aos 16 anos de idade? A fase de escolher o curso para ingressar numa universidade pode ser de opressoras incertezas para muitas pessoas. No caso de Simone Yabiku, filha de Wilson Yabiku, tradicional engenheiro na cidade de Maringá, dois caminhos pareciam prováveis: Engenharia Civil ou Arquitetura. Contudo, veio do pai o incentivo para que a filha trilhasse seu próprio caminho. “Senti uma alegria e um alívio quando ele disse: ‘Na dúvida, faça medicina’”.


Simone explica que Wilson Yabiku sempre teve uma admiração muito grande por seus amigos médicos, para quem construiu diversas casas, consultórios, sendo muitas vezes o único engenheiro em clubes e associações de médicos, tamanha sua amizade com a classe. Foi assim que Simone encontrou o apoio da família para, em Curitiba, estudar medicina na Universidade Federal do Paraná.


Como tudo na vida, de uma escolha derivam diversas outras… A ampla ciência da medicina e suas centenas de milhares de especialidades e subespecialidades estavam diante de Simone para tomar uma decisão. “Eu queria algo que pudesse fazer cirurgias e procedimentos, mas ao mesmo tempo não gostava do clima hospitalar de centros de atendimentos emergenciais. Como mulher, esposa e futura mãe temos que pensar em tudo, então optei pela oftalmologia, uma área que não tem muitas urgências, que posso realizar cirurgias, mas também atender consultório”.


Hoje, mãe de um casal de 6 e 9 anos, seu desafio diário é conciliar a oftalmologia, a gestão hospitalar e a maternidade. A doutora Simone se especializou em Catarata e Cirurgia Refrativa pela USP-SP e em Córnea pela UNIFESP. “De todos os procedimentos cirúrgicos que realizo, a Cirurgia Refrativa que corrige graus de miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia é uma das mais gratificantes. Só quem é dependente de óculos sabe como pode se tornar difícil o simples ato de tomar um banho ou até mesmo se maquiar”, explica Simone.


Essa cirurgia evoluiu muito com o avanço da tecnologia dos aparelhos de laser, tornando segura, com recuperação tranquila e excelentes resultados. “Os exames pré-operatórios de qualidade são extremamente importantes para avaliar se o paciente pode ser submetido a essa cirurgia. O excimer laser é aplicado na córnea, remodelando seu formato para formar a imagem com nitidez”, esclarece. A cirurgia é indicada para quem quer independência ou não se adaptam aos óculos ou lentes de contato. “O uso de óculos pode dificultar em algumas profissões ou prática de esportes”. Um dos critérios para se fazer a cirurgia é que o grau dos óculos esteja estável por 6 a 12 meses, dependendo da idade.


TECNOLOGIA A FAVOR DA MEDICINA

Um grande diferencial encontrado na clínica da doutora Simone Yabiku é o aberrômetro I-design, uma espécie de scanner que mede detalhadamente todas as “imperfeições” do olho, gerando uma base de dados compartilhados com o aparelho de laser utilizado na cirurgia refrativa para maior precisão no tratamento. “Por meio do I-design tratamos não apenas o grau do paciente, mas também outras aberrações ópticas individuais de cada paciente, o que faz da nossa Cirurgia Refrativa um procedimento literalmente personalizado olho a olho”, conclui Simone.


A Dra. Simone Tiemi Yabiku (CRM 21721 – RQE 15849) é Graduada em Medicina pela Universidade Federal do Paraná, realizou Residência Médica em Oftalmologia no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná. É especialista em Cirurgia Refrativa e Catarata pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo – USP. Membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia e da Sociedade Brasileira de Catarata e Refrativa.



bottom of page